João Mafra
Penetra surdamente no reino das palavras. Lá estão os poemas que esperam ser escritos. - Drummond
CapaCapa TextosTextos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato
Textos

BONECA DE PANO
Aquela boneca de pano
largada num canto sozinha,
esquecida de segredos e brincadeiras
permanece esperando tristinha
a atenção que teve em outros tempos.
Entre quintais, salas e soleiras
o tempo passou rapidamente. Pranto.
A criança que agora cresceu tanto
abandonou a bonequinha de cabelo preto,
e sozinha no canto escuro do quarto,
no meio de tantos outros brinquedos ali largados
como simples e impessoal objeto.
Não se lembra mais a menina
dos abraços gostosos que dava
apertando a boneca querida
no peitinho que chorava.
Quantas estórias estariam na mente da bonequinha
mas a cabeça está cheia de panos retalhados,
e agora ela fica estragando sozinha
naquele canto empoeirado.
Sentimentos são bonecas de pano, às vezes.
Também ficam num canto esquecido.
Como são frágeis sentimentos outrora tão lindos.
E agora? O que são finalmente?
Apenas bonecas de pano
chorados por tempos infindos.
João Mafra
Enviado por João Mafra em 19/09/2016
Alterado em 10/10/2018
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.